Secretário de Doria é ouvido na CPI da Dívida Ativa

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara de São Paulo para investigar os grandes devedores da dívida ativa tributária no município identificou os 100 maiores empresas inadimplentes. De acordo com dados fornecidos pela Procuradoria Geral do Município, as instituições financeiras são responsáveis por 42,7% deste montante e apenas o Grupo Itaú/Unibanco deve R$ 5,2 bi aos cofres públicos municipais.

Homem de confiança da gestão do prefeito tucano João Doria Jr., o Secretário de Fazenda Caio Megale, que de 2011 a 2016 atuou como diretor associado do banco Itaú, foi ouvido pela CPI. O secretário negou o questionamento do vereador Alessandro Guedes (PT) sobre os impedimentos ou conflitos que poderiam ser gerados pela trajetória profissional para o exercício da função que ocupa no governo.

Megale foi um dos defensores da PEC 241/55, proposta por Michel Temer e apelidada pelos movimentos sociais como PEC do Fim do Mundo, que congelou os investimentos na social no âmbito federal.

O total da dívida ativa tributária é de R$ 86,7 bi, além de outros R$ 10 bi de dívidas não-tributárias. Somadas eles atingem o valor de duas vezes o orçamento do Município de São Paulo.

Veja a íntegra do ofício da Procuradoria Geral do Município.

quadro-resumo

fonte: Procuradoria Geral do Município

SHARE